Implantes Dentários e Enxerto Ósseo

Implantodontia é uma área da Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial que recupera espaços edêntulos através da inserção de raízes dentárias artificiais que suportarão uma prótese dentária (coroa). Isso ocorre pela implantação de um cilindro (parafuso/pino) de titânio no interior do tecido ósseo, abaixo da gengiva, onde houve a perda do elemento dentário e, após um período de tempo, ao redor do titânio ocorre a osseointegração que é caracterizada pela formação de tecido ósseo que irá incorporar este material ao organismo. A possibilidade de rejeição do implante pelo organismo é muito pequena, tendo em vista que o mesmo é feito de titânio e este, inerte ao osso. Qualquer paciente pode receber implantes dentários, desde que tenha um bom estado de saúde geral.

O tratamento envolve três etapas:
1) Planejamento, a mais importante. Nesta fase, os objetivos do paciente são questionados e avaliados as reais possibilidades de trabalhos que existem.
2) Fase cirúrgica, onde os implantes são implantados.
3) Fase protética. Se realizado na maxila (arcada superior), deve-se esperar em torno de 4-6 meses para a colocação da coroa definitiva e se realizado na mandíbula (arcada inferior) de 2 a 3 meses.

Ao contrário da maioria dos implantes tradicionais, o implante de carga imediata é aquele em que o paciente recebe o implante e o dente provisório no mesmo dia, todavia o mesmo deve possuir qualidade e quantidade óssea suficiente. Por meio dos implantes dentários são feitas desde reabilitações unitárias até grandes reabilitações totais fixas ou removíveis.

Em contrapartida, há casos em que o paciente não possui osso suficiente, seja em espessura e/ou altura, para receber o implante. Nestes casos é realizada, previamente a cirurgia de instalação de implante, a reconstrução óssea da área edêntula. Entre algumas destas técnicas temos o levantamento do seio maxilar (Sinus Lift) nos casos de reconstrução óssea posterior da maxila. O enxerto ósseo também pode ser utilizado e classificado de acordo com o tipo em autógeno (do próprio paciente), homógeno ou banco de osso (de outro indivíduo da mesma espécie) e heterógeno (espécie diferente). As principais áreas doadoras intra-orais são a região da sínfise (mento) mandibular, ramo mandibular e tuberosidade da maxila; todas indicadas para correção de pequenos defeitos ósseos. Em grandes reconstruções, as áreas doadoras extra-orais são a melhor opção, como a crista ilíaca, calota craniana, costela, tíbia e fíbula.

Estes procedimentos podem ser realizados no consultório odontológico, inclusive com o auxílio de técnicas de sedação anestésica. No entanto, nos casos de grandes reconstruções ósseas ou nas instalações de múltiplos implantes dentários, os mesmos são realizados em ambiente hospitalar sob anestesia geral. Portanto, no nosso serviço, todos os procedimentos de implante dentário e enxerto ósseo são realizados por uma equipe multiprofissional (cirurgião e protesista) competente e integrada utilizando materiais modernos, e técnicas cirúrgicas eficazes a fim de proporcionar resultados funcionais e estéticos satisfatórios aos pacientes.

Saiba mais sobre cirurgia bucal pelos artigos já publicados: